Rocino

 

PRAGA NA BANANA

Praga na banana, praga na banana
Praga na banana, praga na banana

A banana vai acabar
Eu li na revista semanal
Vi gente se desesperar
Macacos querendo plantar
Deu praga no bananal

Praga na banana...

'Cê diz que sou praga, meu bem
E diz que sou banana também
Por que 'cê não me larga e vai no próximo trem
Não pense que lhe quero mal
Mas olhe pro nosso quintal
Deu praga no bananal

 

AMOR FANTASMA

Já tentei de tudo pra esquecer
Essa mulher parece assombração
Alho e sal pra benzer
Ter amor fantasma não é bom

O curandeiro
De uma aldeia
Trouxe olho de bicho pra eu comer
E quando a lua
Estava cheia
Deu-me um treco verde pra beber

Mas a saudade ainda dói
No coração
Ai, esse amor fantasma traz
Solidão

   

FOME DE MÚSICA

Entra quem quiser
Pode liberar
Só tem hora pra começar
Toque o que souber
Cante o que lembrar
É fome de música
Vou rever a menina
Vou dançar
Toda festa tem um violão
Vou pegar a menina
Vou beijar
É fome de música
Tome uma canção

BYE-VAI

Eu não creio que no seu recheio
Tenha coisa boa
Há males que vêm pra mal
Você não veio a toa
Trouxe um brilho no olhar e um jeito doce
Mas receio não seja
O que pensei que fosse

Então bye-vai, bye-vai
Leve os erros seus
Só quebre o silêncio
Pra dizer adeus

   
   

RALA

Andei, ralei
Não encontrei ninguém
Fui, mas deixei alguém
Aqui nesse lugar
Voltei
Talvez no mesmo trem
Sou o mesmo também
Eu fui só pra voltar

Eu ‘tava lá na estrada
Na cabeça essa voz e nada mais
Cara, você precisa voltar
Rala, você precisa voltar

Voltei
Talvez no mesmo trem
Sou o mesmo também
Eu fui só pra voltar

O NÁUFRAGO

Não telefone, não
Não tenho nada pra dizer
Vou andar sem direção
Não quero nem saber
Talvez uma canção
Eu ouça por aí
Se tocar no coração
Pode repetir

Eu sou um náufrago
Pelas ruas do Rio
Não quero ir pra casa, não
Eu fujo dos navios

   
   

DOIDO VARRIDO

Dizem até que tenho sorte com computador
Dizem até que tenho norte
Mas algo me desorientou quando vi você
Dizem até que tenho voz
Imito um grande cantor
Tenho a visão dos anciões
Eu vejo o que ninguém notou, mas cadê você?

Dizem até que tenho crédito, o gerente falou
Dizem até que tenho méritos
Por estar onde eu estou
Mas onde está você?

Vento, vem varre a cabeça
Pra que esse doido varrido não esqueça
Ela não vem, ela nunca existiu
Essas marcas são pegadas
De um sonho que partiu

ESTRADA DE FERRO

Girassol, gira sol, gira lua
Eu juro que giro também
A  mente em movimento
Joga a gente dentro de um trem
Na estação do pensamento
Talvez eu encontre alguém

Mas se a estação está vazia
Na outra que vem
Tem gente fazendo folia
Saudando a chegada do trem

Crianças sorrindo tão alto
Que guardarei o meu berro
Tentando esquecer
Que essa estrada... é de ferro